22 dezembro 2014

Um pulinho em Paraty


Novembro eu e meu namorado resolvemos tirar 3 dias de folga da correria na Cidade Maravilhosa para curtir um descanso em Paraty. Já estávamos falando isso há meses, mas nunca conseguíamos tirar um dia pra fazer a viagem. Infelizmente não demos muita sorte, pois justamente os dias que iríamos viajar, o sol não ia dar o ar da graça. Como já havíamos reservado a pousada não tinha muita coisa a ser feita, a não ser perder o sinal que já havíamos dado ou irmos assim mesmo com o tempo ruim, e no final foi o que fizemos. Já que não iríamos aos passeios maravilhosos nas praias locais por causa da possível previsão de chuva, que viesse então os passeios debaixo d'água pela cidade, um mergulho com o dia chuvoso, os bons drinks, a comilança nos restaurantes, os garimpos na Saara local e a preguiça na sacada do quarto apreciando a vista.

Então fomos a Paraty, saímos do Rio na terça pela manhã e chegamos lá pelas 14h. Um total de 4h de viagem. Ufaa! Apesar da vista maravilhosa no percurso, é uma viagenzinha bem cansativa. Mas recomendo. No final, mesmo com chuva Paraty é bom demais.

Ficamos acomodados na Pousada do Cais. Ela fica no centro histórico e bem no cais mesmo, tem uma ótima localização. Escolhemos o melhor quanto, que é o que tem 2 varandas para o mar. O que as outras pousadas no centro histórico não tem. A maioria são no centro histórico de frente para a rua, essa é uma das poucas privilegiadas. Os funcionários são super simpáticos e prestativos. A pousada tem um ótimo serviço, é super limpa, decoração super bacana e café da amanhã ótimo e ainda indica empresas de sua confiança para fazer os passeios turísticos, que costumam ser mais baratos que os oferecidos na rua. Não tenho nada a reclamar da pousada. Me acomodaria fácil nela novamente.






 (A pousada é simples e não tem luxo.)


(A vista da varanda.)

 Bem, apesar de termos chegado cansados, o solzinho ainda fazia as honras da casa. Então aproveitamos para conhecer a minúscula cidade e fotografar um pouquinho.







 (Um achado. Em pleno centro histórico de Paraty existe um brechó.)




(O centro histórico é assim, tudo muito rústico e lindo.)

Depois de tanto andar e fotografar resolvemos parar para conhecer o comércio local. E depois de uma andança sobre aquelas pedras enormes, debaixo de um sol a pino e uma laricazinha, resolvemos parar na boa da cidade. O boteco da pracinha. E ó, não nos arrependemos nadinha. Cerveja gelada, torresmo do bom e musiquinha típica na praça para alegrar nossos ouvidos. Foi uma noite incrível, das boas! Bem coisa de interior!






No dia seguinte e nos outros também, não para nossa surpresa, o sol não deu as caras.


(Ahhhh, se fosse um dia de sol!)








 (Paraty e suas ruas alagadas.)



E o restante da viagem foi assim, passeios na cidade, almoços em restaurantes diferentes, mais passeios, comprinhas, fotos, mergulhinho no mar pra amenizar o calor, pezinhos molhados com as chuvas inesperadas, cerveja e muita cerveja, comilança e muita comilança. Queria tanto aproveitar aquele momento com o love que acabei esquecendo, ou melhor, confesso que deu aquela preguicinha de ficar fotografando tudinho em detalhes todos os lugares que eu ia, o que eu comia, o que eu bebia, o que eu comprava, hahahahah. Mas já já, faço uma listinha dos lugares que fui e indico em Paraty.

Bom, sexta-feira chegou e com ela a nossa despedida da cidade. Pela manhã, quase arriscamos um passeio particular de barco, porque o sol tava no alvoroço pra sair, mas depois ele desanimou e deixou o show para as nuvenzinhas negras! Então fomos embora com gostinho de quero mais sem ao menos conhecer as praias de águas cristalinas que estávamos planejando conhecer.

Resumo da viagem: paz, amor e magia. Três palavras que definem Paraty. Se quero voltar? Lóoogico. Ainda pretendo conhecer os lugares maravilhosos que a cidade tem pra me mostrar. Os habitantes são de uma educação tremenda, carinhosos com os turistas e sempre prontos a auxiliar no que for. Mais um ponto positivo para minha volta.

Agora vem as recomendações boas e ruins! Confere:

- Para as moçoilas que pretendem visitar a cidade. Favor esquecer os sapatos de salto em casa. Sem mi mi mi! É completamente inviável andar pelas ruas do centro histórico de Paraty sem ser de chinelo, sapatilha ou rasteirinha. Confesso que o melhor de todos são as havaianas, porque com as sapatilhas e rasteirinhas você vai escorregar toda hora, por incrível que pareça hahahaha. As pedras são enormes e você escorrega facilmente, e também tem o detalhe de virar o pé toda hora quando vai olhar os casarões e as lojinhas. Vai por mim, essa é uma super dica. Depois não fala que eu não avisei.

- Passei perrengue com as sorveterias de Paraty. Estava louva pra tomar um sorvete gostoso. Comprei sorvete em quase todas as sorveterias, das baratas até as mais caras e o sorvete era péssimo. Puro gelo e sem gosto. Até o Miracolo Sorveteria que tem perto da praça central que vende até sorvete de Kinder Ovo é HORRÍVEL. Só consegui comprar sorvete bom na sorveteria que fica dentro do centro histórico, que se chama Ice Paraty Brasil Sorveteria. Uma delícia. Podem comprar que eu garanto a belezura!

- Uma loja que vocês também precisam conhecer quando forem a Paraty, é o Armazem Paraty. Uma loja que vende artesanato indígena. As peças são caras, mas tem cada coisa para casa, decoração e acessórios que é a coisa mais linda. Comprei uma bolsa lá e paguei R$60,00 por ela. Parece uma bolsa de carregar cobra hahahhaha, mais foi amor a primeira vista, não resisti :)



(Bolsa Xingu)

- Já restaurantes e afins indico:

Restaurante Tailandês que fica no centro histórico: Pura gostosura e saudável. O drink de manga então, afff! Só Jesus na causa. Fica bêbada sem nem sentir hahahahah! De tão gostoso que é!



Restaurante Benditas que fica no centro histórico: Carinho, mas vale super a pena. Comida boa, drink maravilhoso e musiquinha ao vivo top. Deu vontade de levar a cantora pra casa :)


Café Pingado: É o café dos gringos. Quando fui estava super cheio e de brasileiros só tinha eu e meu namorado. O resto tudo gringo!



- Agora não indico nem para o sorvete e nem para o almoço o Miracolo. É um restaurante italiano que fica perto da praça no centro histórico. Não gostei da massa. Pedi um inhoque e não gostei muito. Mas isso varia de gosto para gosto. De repente eu que sou chatinha mesmo hahahahah!


Bom, gente, é isso. Espero que tenham curtido as dicas de Paraty. Gostaria de ter fotos belíssimas da cidade e de suas praias em dias lindos de sol, mas vou ter que deixar para minha próxima ida. De qualquer forma, é uma cidade linda faça chuva ou faça sol. E super indico a visita.

Beijos gente <3

Marisol Ribeiro

21 dezembro 2014

A gente sabe quando tá ficando velha


... quando a gente vê as fotos das amigas e dos amigos que não vemos há tempos e percebemos que a maioria já se casou, algumas amigas já estão grávidas até do segundo filho, os amigos já ficaram carecas, barrigudos e vivem tomando aquela gelada e fazendo aquele churrasco no final de semana e já não postam mais fotos na balada, quando você percebe que aquela sua amiga já possui uma marca de expressão na testa e aqueles suaves pezinhos de galinha nos olhos, quando todo mundo já está com a vida estabilizada profissionalmente e que a correria do dia a dia conseguiu distanciar todo mundo. Ok, nem todo mundo está nesta situação, muitas amigas ainda continuam saindo pra balada, namoram há anos e ainda não pensam em se casar, outras continuam na mesma situação que antes e a muitos amigos e amigas o tempo foi super generoso.

Diante de todo balanço que fiz dos meus amigos através do facebook, isso mesmo, vejo sempre as postagens de vocês, e adoro, adoro saber da vida de cada um e morro de saudade dos velhos tempo, mas enfim, pude fazer uma comparação com a minha. Em fotos recentes que fiz para o meu brechó, pude perceber que encontrei em mim, uma característica muito peculiar a que encontrei nos meus amigos e amigas do passado. Encontrei em minhas próprias fotos, o rosto dos 30. Siiiiim, percebi que não sou tão novinha quanto acreditava ser e que muitos ideais ficarão pelo caminho.

Se está na hora de casar, ter minha própria família e recomeçar do zero profissionalmente, acredito que sim. Está sim. Há alguns anos me tornei adulta sem querer, por ter que assumir compromissos que não estavam na hora de serem assumidos. Tive que crescer em plena adolescência, no momento que eu mais curtia a vida sem compromisso com nada. Onde trabalhava pra manter minhas comprinhas e minhas saídas. Tive que abandonar isso tudo pra assumir o posto de "chefa" da casa, enquanto que todas as minhas amigas curtiam seus 22 anos. 

Agora com 28, quase na casa dos 30, vejo que valeu a pena. Cresci no momento certo, ganhei experiência e hoje sei muito bem o que desejo da vida, e o principal, o que eu posso esperar dela. Sonhos, tenho muitos, ainda não os abandonei, mas estão mais conscientes da situação. Joguei o dado, balanciei pós e contra, tive avanços e também voltei várias casas, esse é o jogo da vida. Vence aquele que souber pular os obstáculos. 

Expectativas para 2015? Ahhh! São as melhores, sempre. Para todo o ano que se inicia. Só espero ter que pular menos obstáculos para chegar mais rápido ao fim do jogo :)





Beijos
Marisol Ribeiro



16 novembro 2014

Sacolas Reutilizáveis


Pra quem vive carregando o mundo nas costas, ombros e mãos, eu indico as sacolas reutilizáveis do momento. Elas são enormes e te garanto que cabe bastante coisa. Eu acabei adquirindo duas pra mim e ainda não me arrependi. Estou sempre fazendo meus garimpos nos brechós da vida ou tendo que carregar blocos de desenho, papeis de modelagem, réguas, esquadros, cartolinas, tecidos, enfim, um tanto de coisa que eu precisaria quase de uma mala de rodinhas pra levar pra faculdade hahahahah!





Comprei essa sacola na loja Tok&Stok do Norte Shopping, mas tem várias lojas espalhadas pelo Rio, como em Copacabana, Barra da Tijuca, Botafogo e Niterói. Confere os endereços AQUI. 

Com o objetivo de incentivar o consumo responsável, a Tok&Stok apresenta uma coleção de sacolas reutilizáveis que aliam design e sustentabilidade em um só produto. Assinadas por artistas, designers e estilistas como Ronaldo Franga e Alexandre Herchovitch com projeção nacional e internacional, estas ecobags produzidas em ráfia são 100% recicláveis, impermeáveis, suportam até 20kg e tem alça reforçada em nylon. Ou seja, é pau pra toda obra.

Eu escolhi essa do Herchovitch porque adorei a caveira com esse jogo de quadriculado preto, branco e colorido.Afinal, ter uma peça assinado por ele não é todo dia né minha gente! Ainda mais pagando R$9,90 por ela.




Outra que comprei foi essa, assinada pelo Ronaldo Fraga. Adorei essa estampa de rostos e essa diferença de estampa em branco e vermelho.




Achei super válida a compra. Ainda quero comprar mais umas duas pra mim. Só não comprei mais no dia porque não achei estampa bacana. Nesse dia estava bem caidinho de opções.

Se gostou das sacolas e mora pertinho do Norte Shopping, dá um pulinho lá.

Norte Shopping
Endereço Av. Dom Helder Câmara - Pátio NorteShopping - Cachambi - Rio de Janeiro 

Sabe de outra loja que também vende sacolas reutilizáveis lindas? Fala pra gente. Deixe seu comentário aqui no post. Eu e as leitoras vamos adorar!


Beijos
Marisol Ribeiro


 



10 novembro 2014

Brechó da Dona Helena


Geeeente, descobri mais um brechó para o nosso garimpo. E dessa vez em São Cristóvão, bem pertinho do Bazar da ACVM. 

O brechó não tem nome, por isso apelidei-o de Brechó da Dona Helena, pois é o nome da dona, que por sinal é um amor de pessoa. Super gentil com as clientes e te deixa super a vontade para garimpar bastante. E olha, tem muuuita coisa por lá! Roupas femininas e masculinas, sapatos, acessórios, roupa de cama (vi uma colcha de crochê linda), objetos para decoração, utensílios de cozinha, e por aí vai ...

Essa brechó não é arrumadinho, tem muita coisa amontoada, dentro de sacolas, empoeiradas, jogadas a Deus dará, penduras na parede, enfim, e pra isso sabemos que paciência é a palavra chave.






Meu primeiro desejo de consumo nesse brechó foi essa vitrola MARAVILHOSA, com precinho nada justo, R$400,00. Mas amei mesmo assim! 


Não falei que era bem bagunçado? Mas brechó que se preze tem que ser  assim. Quanto mais poeira e bagunça, mais alta a chance de encontrar raridades.


























Também gostei desse conjuntinho de xícaras da época da vovó. Mas como já havia gastado o que eu tinha  e o que eu não tinha no Bazar da ACVM, não pude comprar. 


Os preços são variados. Tem peças de R$2,00 a R$400,00, como a vitrola por exemplo. Encontrei peças bem vintages por lá, como aqueles ventiladores antigos que são super charmosos! Tirei foto, mas ela ficou tão embaçada que não me arrisquei a colocar aqui. Mas tá valendo. Se você aí se amarra em brechó de roupas e objetos vintages, super indico o Brechó da Helena. Tem raridades por lá! Vi cada lustre de cair o queixo. Acho que vou adquirir pelo menos unzinho pra minha casa nova :)

Depois de ter encontrado esse brechó e ter achado tantas coisas bacanas por lá, ele tinha que ter um porém: NEM SEMPRE ESTÁ ABERTO! Pode chorar agora!  A Dona Helena, que é a dona do garimpo, trabalha fora, e só abre o brechó quando dá! Ooh God!

Mas mesmo assim super indico! Naquela bagunça toda deve ter muita coisa bacana!

Quer dar um pulinho por lá pra conhecer? Anota o endereço aí:

Brechó da Dona Helena

Rua Bela 512 A
São Cristóvão - Rio de Janeiro
Telefone: (21) 97146-7214

OBS: Antes de aparecer por lá de surpresa, dá uma ligadinha pra dona Helena pra saber qual o dia que ela abrirá o bazar. Segundo ela, o brechó não tem dia certo de funcionamento, por isso é bom ligar  antes de comparecer! LIGUEM ANTESSSSSS OK?

Depois quero saber a opinião de vocês com relação a esse brechó. Vamos dar nossa opinião para ajudar as coleguinhas que acompanham o blog a fazerem bons garimpos?

Beijos meninas e meninos :)





















28 outubro 2014

Bronzeado jambo


Chegou a estação que eu mais amo. Poder pegar aquele solzinho gostoso, ficar com aquele bronzeado lindo, douradão me faz sentir a pessoa mais saudável do mundo! Ok, nem tão saudável assim quando a gente passa do ponto (como costumo fazer, ficar tipo um tição hahahahaha). Uso pouquíssimo protetor solar, apenas no rosto, principalmente na testa, onde costumo descascar bastante. E no resto do corpitcho, bronzeador. E gosto daqueles bem potentes.

Há duas semanas atrás, quando houve aqueles dias de sol intenso, resolvi pegar uma corzinha e fui em busca de um bronzeador bacana pra deixar um bronzeado bem jambo. Infelizmente na farmácia que pedi um bronzeador, não tinha o Cenoura&Bronze, então optei por outro indicado pela atendente o "Bronze Red Apple Brasil" um óleo bronzeador a base de urucum. Ele tem apenas fator de proteção 2, indicado para peles morenas e pouco sensíveis.  





Gente, estou amando. Não fiquei neeeegra com ele, porque fiquei exposta apenas 2 horinhas ao sol, mas deu muita diferença, já que eu estava bem amarela.  

Paguei R$15,00 neste bronzeador na rede de farmácias Ofertão.

Além de deixar um bronzeado bacana, deixa a pele super hidratada. Esse eu indico!


Espero que tenham gostado da dica pessoal!

Beijos
Marisol Ribeiro


Curiosidade: O fruto do urucum e é utilizado tradicionalmente pelos índios brasileiros e peruanos, como fonte de matéria prima para tinturas vermelhas, usadas para os mais diversos fins, entre eles, protetor da pele contra o sol e contra picadas de insetos.

26 outubro 2014

Verde grilo #SQN


Estou off de brechó há semanas. Mas confesso que tô morrendo de saudade! A falta de tempo para o garimpo pessoal está a cada dia mais escassa. Por isso peço desculpas a vocês leitoras. Espero que entendam. A vida de gente grande é beeem diferente da vida de uma jovem estudante. São preocupações do dia a dia, da faculdade, da família, do namorado, questionamentos pessoais, enfim, um turbilhão de compromissos e pensamentos diários. Mas prometo não ficar tão sumida como estava.

Bom, pra alegrar as brecholeiras, venho mostrar uma lindeza que achei em um brechó em Laranjeiras, por acaso. Tinha ido ao bairro por outro motivo, mas acabei passando em frente ao bazar que estava rolando e não me contive, entrei! E por forças do destino, achei esse mocassim (acho que ele tem outro nome, mas não me veio a cabeça até a hora que terminei esse post hehehehe) por inacreditável R$4,00, e melhor, parece que nem foi usado, solado intacto! O que parece é que alguém mandou fazer em um sapateiro, não gostou e se desfez dele.






Comprei esse sapato já deve ter quase 1 semana. Mas com certeza ainda deve ter coisa boa por lá.

Segue o endereço:

Brechó da Galeria da Caixa Econômica 
Rua das Laranjeiras n° 43 - Laranjeiras - Rio de Janeiro

Obs: Entrando na galeria, o brechó se encontra logo no final ao lado esquerdo. Ele não tem nome, mas dá para identificar pois sua vitrine é em vidro e sempre fica uma muvuca de roupas expostas. Não tem erro. Tem muitas peças ruins, mas garimpando direitinho dá pra encontrar peças inacreditáveis de se encontrar em um brechó. Acho super válida a visita!

Me digam se gostaram :)